POLICIA

Publicada em 26/08/17 as 19:48h - 43786 visualizações
Kauan foi estuprado por professor e adolescentes e esquartejado duas vezes, diz polícia de MS.

fonte: g1.globo.com


Menino foi visto pela última vez no dia 25 de junho. Semanas depois começaram as buscas pelo corpo dele. Adolescente está apreendido e professor preso.
Kauan, de 9 anos, morreu durante estupro .
Investigações da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul apontam que Kauan Andrade dos Santos, de 9 anos, morreu enquanto era estuprado por um professor, foi abusado também por adolescentes e esquartejado duas vezes. O menino desapareceu em 25 de junho. O professor, de 38 anos, nega o crime.
Segundo os delegados Paulo Sérgio Lauretto e Aline Sinot, os quatro adolescentes envolvidos no caso contaram a mesma versão várias vezes sobre e em ocasiões diferentes. Eles relataram o que aconteceu com o menino depois de semanas de investigação, quando tiveram a certeza de que o professor não seria solto facilmente.
Na versão deles à polícia, Kauan, o garoto de 14 anos que foi apreendido e mais dois adolescentes foram à casa do professor no dia 25 de junho. Lá, o homem pediu que a criança e o garoto ficassem e que os outros dois buscassem um quarto adolescente.
Kauan foi estuprado, morto e teve corpo esquartejado em Campo Grande, diz polícia.
Enquanto os garotos saíram, o professor abusou de Kauan. Segundo os relatos, o menino sangrou e desmaiou. Quando os outros chegaram, o professor obrigou os quatro adolescentes a estuprarem a criança.
Para a Polícia Civil, Kauan morreu enquanto era estuprado pelo professor, que depois dos abusos forçou os adolescentes a ficarem na casa, esquartejou o corpo e o colocou em um saco preto no porta-malas de seu carro.
Ainda na versão dos adolescentes, o professor foi até o Rio Anhanduí, colocou o saco preto sobre uma pedra, voltou para o carro e levou cada um dos garotos para casa. A partir daí, os meninos afirmam não saber mais o que aconteceu.
Outro esquartejamento
Segundo os delegados da Delegacia de Proteção à Criança (Depca) e da Delegacia de Atendimento à Infância e à Juventude (Deaij), as investigações indicam que após deixar os adolescentes em casa o professor teria voltado ao local, pegado o saco preto e ido para a residência dele.
No imóvel, o homem teria seguido a um cômodo que fica nos fundos e lá esquartejado mais uma vez as partes do corpo de Kauan.
Perícia com luminol no local indicou grande quantidade de sangue de duas pessoas do sexo masculino. Um deles é parcialmente compatível com o da mãe de Kauan. O resultado, porém, é inconclusivo, porque não havia nenhum um objeto na casa do menino que tivesse sido utilizado apenas por ele para que a perícia pudesse ser feita.
Buscas pelo corpo do menino foram feitas vários dias no rio Anhanduí.
Indiciamento
O inquérito sobre o caso ainda não foi concluído. A polícia ainda espera que os exames e laudos periciais sejam mais conclusivos. O professor deverá ser indiciado por estupro de vulnerável seguido de morte, corrupção de menores e ocultação de cadáver.
Delegados durante entrevista coletiva sobre o caso Kauan nesta sexta-feira, em Campo Grande.



Hora Certa
Estatísticas
Visitas: 4927220 Usuários Online: 35


Fan Page

Departamento de Vendas.
You Tube

Tempo no Brasil
Conexão Blogspot.
Febrabom RS
Bombeiros RS Treinamentos
A Maior Loja do Brasil

Empresa Forte é Destaque Aqui!
Veja agora!
Espaço Democrático.
Anuncie Aqui.
Anuncie Aqui!
Fique informado:
Rádio Web.
Colunistas

Júlio Valêncio

Contra ou a Favor! "eis a Questão".


MESTRE APARECIDO

O Malvado Favorito.


CARLOS CARDOSO

Bombeiros Civis do Rio Grande do Sul Fiquem Atento a Propagandas Enganosas pois, Nada é de Graça!


Redes Sociais


Bloquear cópia de conteúdo Não tente copiar!
Divulgue e Apareça!
Copyright (c) 2017 - conexaobombeiro.com.br - Todos os direitos reservados