BOMBEIROS

Publicada em 14/04/18 às 20:59h - 830 visualizações
Oficiais da Polícia Militar e dos Bombeiros reagem a projeto que mexe em aposentadoria

fonte: ndonline


Aumento na idade para a saída compulsória está em discussão na Assembleia Legislativa.
Um aumento na idade limite para a saída compulsória dos oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina está em discussão na Assembleia Legislativa. A proposta eleva para 65 anos a ida para a reserva remunerada e 70 anos para a reforma. Hoje, os oficiais - coronel, tenente-coronel, major, capitão e tenente - podem trabalhar até faixas que variam entre 55 e 59 anos. A justificativa do projeto, assinada pelo deputado estadual Jean Kuhlmann (PSD), propõe "corrigir uma distorção legal e promover tratamento coerente aos oficiais e praças, sem gerar ônus, sem modificar a estrutura organizacional e sem retirar qualquer direito adquirido".
O parlamentar lembra que, em 2013, a lei que rege os praças - subtenente, sargento, cabo e soldado - aumentou para 60 anos a compulsória. No entendimento de Kuhlmann, são justamente esses policiais que fazem o serviço "fisicamente mais desgastante e extenuante". Ao citar outros detalhes, o deputado arremata que a legislação atual é "desconexa, desatualizada e obsoleta".
Caso o projeto seja aprovado, os policiais do quadro atual não serão obrigados a cumprir o novo limite etário. Será uma opção. O oficial poderá continuar trabalhando, "seja por desejo pessoal ou vocação, mesmo que já possa se aposentar". Aos 65 anos, conforme o deputado, o oficial está em plenas condições física, mental, além de somar "vasta experiência profissional", o que garante "um serviço de maior qualidade". A medida, segundo Kuhlmann, também pretende gerar economia aos cofres públicos, adiando o acesso à aposentadoria. 
A proposta recebeu parecer favorável na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), na terça-feira. Antes de ir ao plenário, ainda será analisada às comissões de Finanças e Tributação, de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Segurança Pública.
Contra. A proposta foi recebida com "surpresa" pela Acors-SC (Associação de Oficiais Militares). Conforme o presidente, coronel Sérgio Sell, policiais e bombeiros não foram consultados previamente. A expectativa é que os deputados peçam diligência para que a entidade possa se manifestar. Sem adiantar o teor, Sell entende que a matéria pode avançar a partir de ajustes. O coronel lembra que os oficiais são submetidos a situações de estresse e risco e lamenta que o enfrentamento da violência urbana tem causado mais morte de militares no cumprimento do dever do que em muitas guerras. 
Promoções. Um dos ingredientes extras que provocam polêmica no projeto é a interferência nas promoções de oficiais. A carreira militar é piramidal. A ascensão de um se dá com a saída de outro. O coronel Sell teme que a medida desmotive a corporação, que terá maior dificuldade em crescer na carreira.



Os Heróis da Vida Real.
Hora Certa
Estatísticas
Visitas: 6468723 Usuários Online: 26


Fan Page

Tempo no Brasil
You Tube Inscreva-se.
Departamento de Vendas.
Conexão Blogspot.
Rádio Web.
Bombeiros RS Treinamentos
Febrabom RS
A Maior Loja do Brasil

Inscreva-se em Nosso Canal.
Empresa Forte é Destaque Aqui!
Espaço Democrático.
Anuncie Aqui.
Anuncie Aqui!
Fique informado:
Colunistas

Júlio Valêncio

Contra ou a Favor! "eis a Questão".


MESTRE APARECIDO

O Malvado Favorito.


CARLOS CARDOSO

Bombeiros Civis do Rio Grande do Sul Fiquem Atento a Propagandas Enganosas pois, Nada é de Graça!


Redes Sociais


Bloquear cópia de conteúdo Não tente copiar!
Copyright (c) 2018 - conexaobombeiro.com.br - Todos os direitos reservados